Biografia: Olga Benário (1908 - 1942)

Olga Benário é judia e aos quinze anos se tornou integrante do grupo comunista de Munique, cidade onde nasceu na Alemanha. Filha de sociais democratas burgueses, seu pai era advogado e foi dessa forma que ela começou a se identificar com o operariado e as classes menos favorecidas. Apesar do seu pai defender em julgamentos pessoas de alto poder aquisitivo, sempre ajudou operários que precisavam entrar com demandas judiciais contra os patrões E a cada dia Olga foi se interessando mais em saber sobre a vida daqueles que a seu pai recorriam. Em 1923, ela se integrou ao scwabing, onde só havia filho de operários e que jamais aceitaram ou até aquele dia tinham recebido uma burguesa. Olga se destacou pela ousadia e por não temer a repressão da polícia ou do governo alemão. Ao conhecer Otto Braun, professor alemão que trabalhava como uma espécie de espião a serviço dos soviéticos, ela encontrou incentivo maior para embarcar de vez no sonho de promover uma revolução comunista na Alemanha. Em um dado momento o professor foi preso com a acusação de auto traição a pátria o que fez com que Olga se reunisse com seus companheiros do grupo comunista para libertá-lo no dia do julgamento. Foi ela quem apontou uma pistola contra a cabeça do juiz enquanto seus companheiros rendiam o restante da segurança do tribunal e por tal fato tiveram que se esconder na antiga URSS. Se apaixonaram, foram viver juntos e colocaram seus ideais de comunista em prática . Pouco tempo depois Otto chegou a ficar preso por vários messes e Olga comandou uma nova missão para libertá-lo novamente no tribunal, onde a segurança era a mais reforçada do país e as chances de sucesso nessa operação seriam poucas, porém ela conseguiu e fugindo novamente com Otto. Foi aclamada e eleita pela juventude comunista para o cargo mais alto do Comitê Central da Juventude Comunista Internacional. Cargo que lhe roubou tempo para dedicar-se a sua vida pessoal e que a fez decidir romper com Otto pois não queria perder a possibilidade de progredir cada dia mais no comitê . Enquanto tudo isso se passava na Europa, aqui no Brasil Luiz Carlos prestes com a Coluna Prestes fazia uma verdadeira viagem pelo país à pé ou no lombo de um burro levando de boca em boca os ideais comunistas e trazendo com ele um verdadeiro exército para sua cruzada pelo país. Teve sucesso estrondoso porém não suficiente para depor o presidente, tomar o poder e colocar o País sobre regime comunista, teve que se exilar na Argentina e posteriormente em Moscou, lugar onde Olga estava reforçando e aprimorando os seus conhecimentos comunistas. Ela já havia escutado qualquer coisa sobre o fato de que um brasileiro percorreu a pé vinte cinco mil km tentando uma revolução. Se conheceram por intermédio de um alto comunista do Comintern que os apresentou e lhes incumbiu da missão de irem juntos para o Brasil retomar a missão não concluída por Prestes. Ao longo do percurso apaixonaram-se casaram-se e daí em diante é que Olga é descoberta no Brasil e entregue a Hitler pelo governo brasileiro. Foi para a prisão grávida de prestes, sua filha Anita foi dada a avó e pelo grande numero de acusações que pesavam na sua ficha policial principalmente traição a pátria ela não foi perdoada pelo governo de Hitler que a condenou a câmara de gás.


Voltar