Entrevistas: Arruinado Pero Feliz
Por Estevan Martinez
Quando e onde surgiu a banda? Quantos integrantes já passaram e quais estão agora?
A banda começou em 1995 em Buenos Aires - Capital Federal - Argentina. Eramos 4 amigos querendo tocar punk estilo attaque 77, as coisas nos levaram a que em 1998 trocássemos nosso baterista, entrou Fer Casaquevick e a principios de 1999 gravamos o 1ª K7 que se chama “Nosostros decimos no”, um k7 que nos encheu de fãs, depois de gravar este disco como trio, tocamos bastante, mais a verdade é que nao passava nada. E depois de diversas mudanças de formaçoes e a ser o que é hoje e com a qual gravamos “Un nuevo Comienzo”. Hoje a banda é Fer na guitarra, Chirola - bateria, Dr. Pol no baixo e Juanjo guitarra e voz. Está é a história hiper resumida.
Como definem o estilo da banda?
É meio difícil isso, não? Acredito que nossa raiz é punk mais tem de tudo um pouco. Pelas coisas que escutamos e pelas influências que tem cada um. Acredito que somos bastantes abertos na hora de escutar música e para fazer também, e acredito que um título nao há, poderia dizer que é punk melódico, mas nao é tanto, tem uma onda Hard core, mas tanbém nao é assim, é uma mescla dessas coisas. Não nos limitamos e se fechamos em nenhum estilo. Metemos nos temas as coisas que gostamos, acredito que nos coincidimos em que é muito chato fazer um estilo marcado, sem sair disso. Ou seja, há bandas que fazem punk melódico e jamais saem disso, coisa que não vejo como mau, mas acredito que a nós nos chatiariam. Nos disseram que fazemos punk europeu, e acredito que foi a definição que chegou mais perto do que fazemos (risos), sim, também nos disseram punk infantil (risos), também hard core punk e hoje uma menina me disse: Que merda vocês fazem? porque punk não são, temos que ser realistas tão pouco inventamos a polvora, fusionamos as coisas que gostamos e aprendemos disso, mas acredito que se parece mas a bandas punks europeas que as bandas californianas ou alguma banda cabeça daqui, nem um hard core old school, (olho que old school é massa!), é musica, sei lá, é uma merda que cataloguem todos, escutem a banda e se gostem bárbaro e se nao gostarem , nao será a primeira pessoa que nao goste.
Quais são as influências de Arruinado Pero Feliz?
Muitas coisas nos influenciam. Ou seja, como te dizia, antes de tudo, escutamos muitas coisas diferentes, mas também temos muitas bandas em comun.
Juanjo - (voz e guitarra): Em particular gosto de Sepultura, Pantera, Attaque, Pearl jam, Nofx, Bad Religion, Extremoduro, Maiden, Sabbath, Kiss
Fer - (guitarra): Beatles, Hendrix, Clapton, Steve Ray Vaughan, Led zeppelin, Deep purple, Crimson, Sabbathh, In Flames.... puffff a lista continua e não tem fim (the sacados)
Juanjo: Escrever letras, acredito que aprendir escutando Sabina, Silvio Rodríguez, Robert do extremoduro, Ciro do Attaque, escritores como Galeano, Woody Allen (A que nao tem caralho nenhum haver, todo tem que ver com tudo), Robert Arlt.
Chirola: De minha parte escuto muito punk espanhol, mas trato de me influenciar bateristicamente com baterista do rock como Bonham, Ian Paice e alguns caras de jazz, também escuto muito heavy.
Fer: Legiao Urbana! Que banda e como escrevia Renato, ahh me esquecia de Renato Russo e por suposto de Evaristo.

Qual os temas abordados nas letras?
Bom, como digo sempre, se te digo que falo das coisas que passam com nós, vai soar horrível. Em geral, tento escrever as coisas que penso ou sinto. Porém, tento dar uma volta interessante para que não seja só um relato que não leva a nenhuma parte. Agora temos um tema novo que se chama "no quiero ser tu dios", para dar um exemplo, pensava nas pessoas que querem copiar as bandas que gostam, ou repetem coisas sem pensar demais e pensei que algum dia nos podia passar a nós e a verdade seria muito chato. Acredito que está bom o que diz o tema: "buscar tus proprias respuestas y por sobre todo ser libre sin privar de libertad a nadie.."
Como é a cena underground na Argentina? Tem espaços?
Há muitas bandas, isso é o bom que tem muito para elegir, vejo que tem muitas bandas mas não há propostas diferentes. Todos vão ao seguro ao que as pessoas já conhecem. Também não digo que nós somos tão diferentes, mas tentamos dar uma volta de torca. Há muito mais pessoas que vai aos shows agora. Os locais é o mais complicado daqui, alguns te pedem muito dinheiro para tocar coisas impossíveis às vezes cubrir e uma banda pequena tem que se individar se não tem pais com dinheiro para bancar (olho, não critíco para nada meu velho que me sustenta e me segui sustentando) e se um jogo de cordas te sai 30 mangos e as baquetas da bateria importadas te sai 40 é até um hobbye caro.
Quando eu falo a palavra Brasil, o que vem na sua cabeça?
Garotos Podres, Legião Urbana, Sepultura, Angra, Daniela Mercury (risos). Vamos Daniela!!! O canto dessa cidade é meu (risos). O segundo melhor jogador do mundo, Pelé. Sepultura , a banda que influenciou a todos. Igualmente Maradona é melhor que Pelé (risos). Caetano , que agora toca aquí, mas sai muito caro. A mim particulamente o ritmo brasileiro me encanta, a capoeira, isso é muito legal. Ahh eu to maluco. Meu pai não pode me pagar classes de português (risos).
Porque o nome "Arruinado Pero Feliz"?
É uma frase que disse o guitarrista Argentino de uma banda metal chamada V8. Osvaldo Civile (vá com Deus), queriamos mudar o nome e justo vi uma nota que haviam feito, onde estava destacada essa frase e me causou muita graça. Mesmo ele se referindo a abusos de drogas e álcool, acredito que nós se relacionamos com outras coisas, como algo mais social.
Fale um pouco sobre o último albúm da banda "Un nuevo comienzo".
De princípio gravamos somente para ter algo gravado mais o menos escutável. Foi gravado com pouco dinheiro, mas nos serviu muito para que as pessoas nos conhececem. Eu acredito que cumprimos e superamos todas as expectativas que tinhamos, e agora mesmo já estão nos fazendo uma entrevista para o Brasil, que para a banda é uma honra. Saiu um disco incrível, nos deu e segue trazendo muitas satisfações, que nunca pensamos que poderia passar. Por sorte estar por ser editado na Alemanha pelo entes anonimos, estar na Espanha pelo selo Comunica, sai em Venezuela pelo tu mundo records e pelo chilas discos, no chile vamos sair num split junto com Cementerio 3 e um monte de compilados, que eu até agora nao posso acreditar. Imaginar! Que gravamos por gravar e passaram todas essas coisas, é muito lindo. Eu me sinto muito agradecido, porque algumas bandas se metem para que lhe deem bola e nós tivemos a sorte de que algumas pessoas gostem do que fazemos. Também saímos em um tributo a la polla records, que para mim é muito importante, porque é a banda que mais gostamos. Se nota que somos meninos felizes graça ao punk rock?
Vou citar nomes de bandas e pessoas e gostaria que você desse alguns adjetivos ou frases curtas descrevendo o que pensa destas bandas e pessoas.
The clash: Escutei pouco, mas está bom, foi a primeira banda que fusionou punk com reggae, inovadores, faziam um bom punk.
Motorhead: Velhos metaleiros! bandona, pena que quando vem toca 1 hora e a entrada sai 40 pesos, é uma banda lendária, mas acredito que está muito comôda e isso no rock nao é bom.
Ataque 77: A banda que nos incentivou a sair a tocar, mas que últimamente só está indo ao caralho (risos). Há discos e canções incríveis. Mas agora não gosto, mas é nossa referência, mas as vezes me parte o coração no meio.

Fun People: A banda que fez um antes e um depois no Underground daqui, não gosto muito, não escutei muito, mas o cara tem uma particularidade de fazer temas gancheros, o cara tem muita onda fazendo tema, acredito que é o grande independente daqui, sempre fez sua movida.
Sepultura: Bandona! Porque Max brigou com os outros? Roots já nao gostei tanto, força, bronca, riff simples, o ínico guitarrista que tocava com 4 cordas (risos), a banda que cruzou a fronteira com o heavy, a banda que influenciou tudo que veio depois.
George W. Bush: Um cara que não respeita a vida humana para nada. Penso que ele acredita que é o grande salvador do mundo… me parece que a definição de salvador ele se confundio com a de assassino, um delinquente.
Kirchner: De Kirchner que posso dizer? Que é o irmão de Cristian ou não? De esquerda para aquí e para os Estados Unidos um lambe botas.
Lula: Me parece ser muito inteligente, não se cansa com nada e faz a sua. Porém isso de que ele é de esquerda eu não acredito muito (risos), mas o importante é que ele faça bem para o país, lutou muito para conseguir chegar a ser presidente. Não sei muito para opinar do tema.
Che Guevara: Alguém que não foi profeta em sua terra, acredito que foi um grande homen, mas como disse meu velho: Não acredito nos revolucionários com armas, justo ontem estava lendo Benedetti dizia algo assim: como que pensaria o Che de sua figura agora, um produto mas para o consumo, nao há caminho para a paz, a paz é o caminho. Gandhi (fico com esse e também, fez uma revoluçao, é o ídolo para os revolucionários de mamãe).

Quais diferenças vocês notam, entre, quando começaram e da banda agora?
Juanjo: salvo eu, moncho que é Jujeño todos estamos um pouco careca (risos). Porém, acredito que mudei, cresci e de alguma maneira evolui muito. A banda é algo que começou como uma brincadeira e terminou algo que me define como pessoa. Me ajudou a dizer as coisas que sentia, porque antes era muito fechado, a agora é como uma namorada (risos).
Na opinião de vocês, quais são as melhores bandas Argentina atualmente?
Não sei se são as malhores bandas, gostamos muito de "eterna e cadena" (hasta buscando salidas), acredito que Attaque foi uma grande banda, a melhor banda punk que teve aquí, mas hoje já não são punks. Não se pode dizer que há uma, duas, três grandes bandas, acredito que há um grande vazio a meu entender, mas bom, tão só é mnha opinião. Para mim a maior banda aqui é ASCO, los violadores tem coisas muito boa.
Qual foi o melhor e o pior show?
O ultimo em Remenver foi barbaro, o show em Entre Rios por todo contexto que tivemos antes de chegar nos fez valorizar com tudo poder tocar (há que ter em conta que em uma viagem de 4 horas, fizemos em 10 hahahaha), este ano acredito que o 3ª acontecimento barbaro. O pior para mim de longe foi quando tocamos em Fenómeno Bar, quando o louco Diego (Um cara que vai quando agente toca), estava chapado e quase rompe tudo, mas foi a segunda vez que tocamos em Fenómeno, todos nós temos boas recordações, mau acho que não teve nenhum, este ano acredito que sairam todos muito bem.
Falem sobre o que a banda tem produzido e quais são as expectativas de lançamentos e shows.
No fim do ano acredito que entramos para gravar nosso próximo CD, estamos com muita vontade, porque os temas novos estão a meu entender, muito melhores que os anteriores. Capaz que vamos fazer um video-clipe para ver se podemos colocar em algum lugar e se não podermos colocar em nenhum lugar pelo menos se cagamos de rir, fazendo cara séria para camera (risos). Também temos muitos shows marcados como em Rosario, Rio Negro, Bahia Blanca , Punta Alta , Cordoba, Tucuman, Salta , Jujuy, Corrientes.
Mensagem para os leitores do nosso site:
A verdade é que jamais acreditamos que alguém ia fazer uma entrevista para um site do Brasil. Esperamos que passem pela página da banda, assim conhecem os temas e a música que fazemos e se chegaram até aquí agradecemos pelo interesse, nossa site é www.arruinadoperofeliz.com.ar. Bom, o que posso dizer é o que digo sempre. Sejam felizes!!! E muito obrigado!!!

Formação:
Chirola – Bateria
Fernando – Guitarra
Juanjo – Voz e guitarra
Pol - Baixo

Discografia:
:: Nosotros decimos No! :: (Marzo- 1999)
:: Un nuevo comienzo :: (Noviembre 2002)

Contatos:
Tel: 0054 (xx) 011 4573-0376 (Juanjo)
e-mail: correo_apf@hotmail.com
Site oficial: www.arruinadoperofeliz.com.ar


Voltar