Entrevista: Imminent Chaos
 Como surgiu o Imminent chaos??? Quem o forma???
Surgiu em abril de 2002, quando após longa procura eu (guitarra e vocal) e meu irmão Rodrigo (baixo) encontramos o Luis, vulgo Batata (bateria). Quem nos apresentou o Batata foi o Gepeto do Ação Direta, e desde o primeiro ensaio a formação continua a mesma.

 Porque esse nome foi dado a banda???
Devido a idéia de o colapso da lógica humano-societária do capital estar próxima. Não cremos em teorias que propõe que somente o caos seja necessário para a destruição do capital, ou mesmo que este va ruir por si só. Porem, o fim do capital e algo inevitável e iminent.

 Qual é o estilo musical da banda???
Não nos preocupamos muito com o título que vai levar. Tocamos o que gostamos, que nos influencia: Metal e Hardcore.

 O que vocês acham da cena punk mundial hoje em dia???
Punk por si é um movimento ja falecido. Ainda bem. Em vida, não foi capaz de ir além da reivindicação dos direitos burgueses e ao protesto fortuito, em alguns casos com uma rudimentar orientação anarquista. Nunca passou, de fato, de uma "rebeldia" controlada, sem dano algum a sociedade atual. E, antes de tudo uma caricatura que diz respeito ao visual e a idéias restritas e viciadas que nao levam nem nunca levaram ou mesmo levarão a alguma mudança expressiva na sociedade.

 Vocês são punks???
Eu sou humanista. Acredito na emancipação humana através da luta da classe operária pela revolução social. Tudo que está além desta luta classista pela libertação do homem da exploracao e irrelevante ou meramente vão.

 Pra vocês, o que é ser punk???
Ter potencial pra se tornar um revolucionário, ter consciência da realidade - mesmo que não completa - mas não saber os meios pra se chegar as mudancas de fato ou acabar dragado pelo politicismo ou conformismo ou mesmo falta de orientação teórica que aniquila este potencial.

 Faça um breve resumo sobre o que é anarquia e o que ela significa pra vocês:
Anarquia é, por sua definição etimológica, negação de qualquer forma de "arche" - poder, autoridade. Foi uma corrente de pensamento fortemente estabelecida durante um determinado periodo, principalmente nas linhas de pensamento ocidental, conhece seu auge em intelectuais como Kropotkin e Malatesta - pra citar os mais conhecidos - que além de propagarem o conceito de ação direta, ou seja, luta direta pelos interesses de uma classe explorada contra uma explorada, também criaram teorias bem mais sólidas, por exemplo de que Bakunin, sem nunca terem se esquecido da necessidade de orientação teórica do proletariado na luta pela revolução social. Acreditam na revolução social, bem como outras linhas de pensamento socialista, como o Marxismo. Negam - como os marxistas - a política, por razões que podem ser diversas das de Marx, porém no mesmo ambito - a política, além de negar a essência humana, em sua forma representativa (democracia por exemplo), é incapaz de representar os interesses específicos das pessoas (em Marx, se deve ao fato de a democracia ser opressão de classe, e servir como pilar da dominação da classe burguesa, portanto incapaz de resolver os problemas sociais e contradições, visto que o Estado nasce desta sociedade contráditoria, carregando portanto em si esta contradição, esta oposição de classes). Para o anarquismo, a questão diz mais respeito, muitas vezes, não ao fato de ser classista, mas da representatividade de ser incapaz de expressar plenamente os anseios individuais de cada pessoa, ou seja, visa-se erroneamente primeiramente o interesse privado, mesquinho, e não o coletivo. Nao se pode tomar essa visão pra todo o anarquismo, visto que constitui-se em um pensamento muito amplo, que abarca demasiadas correntes de pensamento, porém tem como ponto comum estas questões.
Bem, para mim, o anarquismo hoje não tem tanta expressividade, visto que conhece uma considerável desconstrução no momento da derrota da guerra civil espanhola. Consitui-se sim, - quando não classificados erroneamente os democratas radicais e deseperados e os romanticos reacionários como anarquistas - em um grupo que partilha dos mesmos ideaias revolucionários, da tarefa histórica de nossa classe de destruir o capital, porém de maneira equivocada, visto que não compreendem claramente as condicões necessárias para se fazer a revolução, e mesmo muitos acreditam na necessidade da existência de miséria material ou caos, quando não são estas as questões basais. Negar a necessidade de orientação da classe trabalhadora é um erro, talvez tão grande quanto querer tornar-se líder ou vanguarda intelectual da revolução

 O que vocês acham da cena independente musical hoje em dia???
Tem alguma cena musical que seja independente?! Completamente independente?! Criam-se apenas regras diferenciadas, modelos diferenciados do que vende, do que lucra, nao há e não haverá independencia alguma enquanto estivermos atrelados a essa sociabilidade. Quando você vai a um show, você compra - alguem vende. Se alguem vende nesta situação, é porque precisa o mínimo pra manter-se produzindo. Não existem outros meios nessa sociedade, portanto não existe independencia, nao existe alternativa. Não existe cena alternativa, do mesmo modo como não existe mudança expressiva de postura ou de idéias das pessoas que consomem o underground. O sentimento de comunidade, de estilo de vida no hardcore, so é viavel no primeiro mundo, onde se tem o Estado de bem-estar-social, lá da pra se manter, ainda que dificilmente, da música. Aqui, ou se enquadra na moda, mesmo que seja na udigrudi, ou foda-se, ta fora. So existirá independencia com pessoas independentes, e não to vendo ninguém nessas condicões no mundo hoje.

 O que vocês acham em relação ao preconceito tanto musical quanto racial???
Bom, sou classista, repudio qualquer forma de divisão da classe trabalhadora, qualquer teoria ideologizada burguesa que tente dividir a classe trabalhadora. Não existem diferentes raças humanas, pra começo de conversa, existem diferentes etnias, que mesmo com suas particularidades, mantem ainda o radical comum, são humanos. Bem como não acredito na divisão de genero. A única visivel, sensivel, palpavel divisão que exite na humanidade é a das classes sociais, enquanto ao tomarmos consciencia de classe, não nos reconhecermos como camaradas de uma mesma classe, para assim combater a opressão, continuaremos na mesma, a KKK (Ku Klux Klan) vai continuar sendo mantida pelo trabalhador médio estadounidense, incapaz de compreender sua condição. Quanto ao preconceito musical, cairemos, cedo ou tarde na questão do QUE É MUSICA? e se concluirmos que MUSICA É ARTE, ai vamos ter que discutir o que é arte e isso é muito denso. Particularmente acho que devemos fazer o maximo de barulho possivel... e que cada um faça o seu.

 Existe preconceito na cena independente???
Prefiro não julgar, pra nao acabar vitimado pelo meu próprio julgamento. Tem muita coisa que eu não gosto no underground, principalemente dos que se sentem legatários da verdade absoluta e do desfile de moda feito nos shows, sem nenhum conteúdo. Distribui as carapucas...cada um que pegue a sua e amolde ao seu gosto...

 O que podemos fazer para combater o preconceito? ou pelo menos tentar combáte-lo!
A única maneira de conseguirmos mudanças efetivas em qualquer aspecto da realidade hoje, é a orientação teorica. Alguem um dia me disse "nao basta fazer, tem que fazer a coisa certa". E de fato, se boa intenção valesse alguma coisa, os cristãos ja teriam acabado com a miséria no mundo(rs rs rs...), porém é necessário agirmos na base social do problema, na raiz do que gera os preconceitos, etc, ou seja, na determinação social do pensamento. Devemos assumir uma postura que defenda os interesses da unica classe capaz de fazer a revolução social, o trabalhador, e lutar pela emancipacoa humana como um todo. Não podemos tomar o sintoma pela patologia... As drogas são reflexo da alienação das pessoas e não o fator principal desta alienação (carapucas gratis!).

 Quais as principais dificuldades enfrentadas pela banda???
Locais pra tocar, controle do veneno da minha língua, a das verdades que ninguém diz. Um grande problema pra conseguir arrumar shows é que dizemos um bocado de verdades que incomoda as pessoas, inclusive as que armam os shows...mas fazer o que... mentir?! Ser hipócrita?! ...(rs...rs...) Outro problema, quase obvio, é grana...afinal, praticamente pagamos pra tocar, pagamos pra gravar, pagamos pra fazer os CDs... o retorno e satisfação que nos traz estar tocando não é balisado pelo dinheiro, porém precisamos deste pra podermos agilizar a banda...

 Quais as principais metas alcançadas pela banda e quais ainda pretendem alcançar???
Gravamos nosso primeiro material com a qualidade que queriamos, com quem queriamos, isso foi muito bom, e ver a receptividade das pessoas a esse material é fantástico. Também a receptividade de algumas pessoas nos shows, mutiso vem trocar uma idéia, reconhecem-se em nossa música, e isso pra nós é muito gratificante. Do mais, temos conseguido bastante em um tempo relativamente curto - Participamos da trilha sonora de um filme independente chamado "The polish remover", participamos de umas coletâneas como a do amigo Fernando da AGAH Records, da coletânea da Means4War records de NY, da PROJECT:UNITY na Grécia... aos poucos estamos conquistando nosso espaço e o mais importante ganhando mais amigos.

 Espaço livre para mensagem:
Agradeco o espaço cedido, e a atenção despendida por quem leu a entrevista até o fim. Estamos completamente abertos pra qualquer dialogo, entre em contato: imminentchaos@ig.com.br, agradecemos também todo mundo que sempre nos apoiou, marcou shows, os amigos que acompanham desde o começo, quem acreditou na gente e agradecemos aos inimigos... que colocam obstáculos pra ficar mais divertido tudo isso e pra dar o prazer de destrui-los. Encerro com uma do Catharsis:
"This weapon will replace my tongue.
I will learn to speak through it.
And my poetry will now be written with blood."

"Esta arma substituira minha lingua.
Eu aprenderei a falar atraves dela.
E minha poesia agora sera escrita com sangue."



Voltar