Entrevista: Tóxicos
 Para iniciar a entrevista fale um pouco de como se originou a banda, quem já a formou e quem a forma hoje em dia.
Bom eu entrei na segunda etapa da banda que foi ano passado mais ou menos em novembro. A banda começou como brincadeira né só zuera cover`s já se passaram muitos pela banda, mas firme mesmo começou Japones (guitar e voz), dinho (vocal), Adri (baixo) e Tano (batera) e agora no meio desse ano chamamos mas um guitarrista que é o Piruca.

 Vocês tem alguma influência específica?
Acho que a banda toda tem uma total influência diferenciada.... haha falei e nem entendeu né ..... mas é certo que todas tem um pouquinho de Dance of days e Dead fish..

 Comente um pouco de como foi a produção dos 3 álbuns da banda, o "O Mundo Não Muda", "Gearbox" e o "O Mundo das Máquinas"...
Bom "O Mundo Não Muda" foi uma gravação meio que crua... e de músicas antigas eram punk hard core, e nesse EP nem saiu a música "o Mundo não muda", e "Gear box" foi uma coletânia lançada pela Gear Fox , e assim participamos com a música "O mundo não muda", era apenas o que nos tinhamos pra divulgar, e foi bem legal no zona punk mas de 10 mil pessoas baixaram e no site do tóxicos mais umas 4 mil, foi bem firmeza no show o pessoal cantava ela.... bem era a única que tinhámos..... e agora vem o "O Mundo das máquinas" o CD está muito loko e claro que dava pra melhorar, mas gravamos mesmo rápido, estamos divulgando no trama virtual a mp3 da Máquinas quem quizer baixar ai vai www.tramavirtual.com.br/toxicos quase 6 mil pessoals baixaram ela... aí fizemos uma tour de 10 show em são Paulo e interior!

 Mais algum álbum, clipe, tour ou alguma coisa planejada para 2005?
Sim, estamos já gravando cenas de show para 2005 lançar um clipe, e vamos fazer uma tour com mas de 20 shows pelo brasil divulgando nosso cd, e quem sabe né 2005 um cd novo né a banda já tem músicas prontas e algumas cruas né..... então tá fácil ...o que falta é rolar grana...

 Qual o motivo da banda se chamar Tóxicos?
Na verdade era um cachorro que o Adriano tinha... e foi atropelado... o Adriano é o único que está desde o começo da banda ele que fundou o Tóxicos (rssss).

 As letras são escritas por quem? Do que falam? E o que vocês pretendem passar para o público com a mesma.
Bom nesse áltimo álbum a maioria das letras foi escrita por mim, e pelo dinho... bom fazemos diversos temas .... de histórias rotina, problemas do mundo... sobre viagens e pensamentos... mas desse novo CD o legal é Maquinas... ela fala muito sobre a verdade o mundo vem enfrentando onde máquinas dominam o mundo... hoje em dia tudo ao nosso redor e controlado por máquinas... aqui mesmo é um ex.... não é?

 Quais as principais dificuldades enfrentadas pelo Tóxicos?
Acho que é a grana... para investir....

 O que você acha da situação do mundo hoje?
Acho o mundo injusto!!!

 O que pode ser feito para mudar isso?
Começar tudo de novo!!!

 Ok, voltando à banda, vocês já sofreram algum tipo de preconceito?
Em show não... mas então tipo por tocarmos um som melódico tem o pessoal que criticam sabe... tem letras que falam do cotidiano... adolescente... e tem o pessoal que critica..... é mó foda... porque além de tudo cara eu não quero ser o dono da verdade e nas nossas letras fazer todo mundo pensar do jeito que nós pensamos.... não quero mudar o mundo com nossas músicas ....

 O que você acha da cena independente brasileira?
Ta muito forte e anda crescendo cada vez mais... Dead Fish com essa subida que deu abriu muitas portas... amplio o cenário...

 Deixe uma mensagem final pro pessoal que leu a entrevista:
Quero agradecer a todo o pessoal que sempre nos da uma força, pra toda garotada, todos que curtem nosso trabalho, para nossas familiares que nos ajudam e incentivam... e para aqueles que estão começando agora... o que vira e meter as caras acreditar no sonho e ir buscar, você tem tudo em sua frente só bastar correr... obrigado a todos de coração
Japa*
site oficial:
www.toxicos.net
site no trama
www.tramavirtual.com.br/toxicos
fotolog
www.fotolog.net/toxicos
e-mail contato
banda_toxicos@hotmail.com



Voltar