Especiais: Entrevistas: Lesto!
Por Bruno Feijão Genaro
Pra quem não conhece o Lesto!, fale um pouco de sua história, integrantes e o estilo da banda...
A banda começou depois que eu e o Valadão conversamos pela primeira vez, a gente era tretado sem nunca ter conversado!!! E então um dia a gente parou e começou a trocar idéia e percebemos que a treta toda era por causa de uma amiga que mentia pra nós dois! Hehehe e então no fim daquele dia ja estávamos com o projeto da banda. Chamamos o Guigui que tocava com ele, na banda Fragmento. Eu chamei o Eduardo que tinha tocado com um primo meu e o Dideus foi chamado pelo Valadão eu acho. Tínhamos uma vocalista, a Andrea, uma amiga minha que passou um ano na banda! Então tinhamos vontade de fazer um som rápido, pesado, gritado, barulhento e só isso, nunca repriminto nada que nenhum da banda quisesse expressar, tanto através das letras como através de discursos. Isso fez com que as letras fossem bastante pessoais e ao mesmo tempo abertas. Estranho. Hoje em dia o Valadão não está mais na banda porque se mudou pra Curitiba, eu estou sozinho nos vocais, mudamos de baixista e vocalista algumas vezes nesses três anos, mas a banda está bem estável agora, madura e mais disposta do que sempre foi. O estilo é dificil de falar, mas é rock, é pesado, é rock pesado e dançante, gritaria do começo ao fim, também é sensual.. muito sensual.
O Lesto! foi influenciado por alguma banda, ou tenta fazer um som diferente?
A gente escuta muita coisa diferente, mas quem faz a maioria das músicas é o Eduardo, que escuta muito metal. O hardcore também influência bastante, mas acho que como não nos prendemos a nada acaba saindo algo que não pode ser definido como nenhum dos dois.. e talvez nem como metalcore! hehehe continuo dizendo, é rock, é pesado, é dançante, muita gritaria e muito sensual!
Mas, o que você tem escutado ultimamente?
Pitty, Rumbora, Dead Fish (DVD), Thursday e Violator (uma banda aqui de Brasilia)
Vocês dão mais valor à melodia da música ou ao conteúdo dela? As letras se tratam de que?
Damos igual valor aos dois eu acho, porque na banda tem gente que dá mais valor a melodia e outros às letras, então existe muita dedicação em ambas. As letras geralmente são bastante pessoais mas sobre problemas sociais, como se não fossem músicas de protesto, sabe? mas letras que falam o que sentimos sobre essas coisas todas. Já outras são mais diretas, como Corpos ao chão.
Mas se vocês fizerem uma letra bem foda, vocês encaixam ela numa música mais trabalhada?
Nao, não... temos muitas letras, e de acordo com as melodias que vamos fazendo vamos vendo as letras que vão se encaixando melhor.
O Lesto! tem mais algum trabalho além daquele CD Lesto!?
Nós lançamos uma promo, com duas músicas que estão no CD... então não sei se pode ser considerado algo além, foi um pré-lançamento do CD.
E quais são as previsões do Lesto! para 2005?
Tocar bastante, bastante mesmo! Fechar os muitos shows fora de Brasília que estamos correndo atrás e conseguir muitos outros né!!?? E se tudo der certo reprensar nosso cd também!
Fale uma pouca da produção e como foi fazer o clipe...
Bem, nós não conhecíamos o Marcos Paulo (quem produziu o cd), mas eu já tinha gravado com outra banda no estúdio dele, então o procuramos e conversamos até chegarmos ao acordo dele produzir tudo, passamos um mês fazendo a pré produção das músicas, deixando tudo certinho, ensaiando lá no estúdio da gravação mesmo, nessa época ensaiavamos as vezes mais de 3 vezes por semana, porque além dos ensaios da banda toda, fazíamos vários ensaios instrumentais depois começamos a gravar e demorou bastante, porque o pessoal da banda tinha os horários todos bagunçados. No fim da gravação, pegamos imagens de shows, da propria gravação, em estudio, a gente passeando, juntamos todas e levamos pra um amigo dele editar.. e foi isso, tudo muito na camaradagem, com o pessoal que acreditou no nosso trabalho e fizeram de tudo pra ajudar e estar presente.
Qual o motivo da banda se chamar Lesto!?
Não tinhamos nome ainda definido e o guigui estava lendo "a moreninha" quando viu esta palavra lá, foi atraz do significado e descobriu que era "rápido".
A cena underground vem crescendo muito, e diversos estilos vão se formando, o metalcore em si não é muito divulgado, as bandas de metalcore tem mais shows organizados por eles mesmos, como o Verdurara e o Liberation Fest, vocês tocam frequentemente com que bandas?
A gente toca com bandas mais pro lado do hardcore, Innocent Kids, (silente). Tocamos bastante também com o Violator, banda "trashhhhh", aqui de Brasilia que é muito boa!!! Brasília tem muita banda boa, só falta espaço aqui pra rolar show bom.
Era isso que ia perguntar agora, aí em Brasília tem um público bom, uma estrutura legal, como são as coisas por aí?
Realmente me sinto meio perdido em relação a isso, tem show que fica lotado, tem show que só vai o pessoal das bandas e os amigos.. mas mesmo assim não são menos animados! eheheh acho mesmo que o problema daqui é lugar, preço alto de alguel do espaço, de som... se Brasilia tivesse mais estrutura apareceria muito mais banda boa!!
O que é ser uma banda independente hoje no Brasil?
É estar disposto a fazer tudo pelo rock. Não apenas viver no rock e tal.. mas conseguir ser uma banda, ir atras de divulgação, cd, shows é preciso muitas vezes trabalhar muito, pegar seu dinheiro e investir tudo na banda!!! porque não sai barato fazer tudo isso, viajar e não é sempre conseguimos recuperar os custos! Então tem que gostar muito do que se faz, e vale muito a pena, as amizades, a diversão as conversas, as discussões.. tudo que vivemos com a banda acaba sempre nos dando força pra nem lembrar que passamos a semana inteira trabalhando e estudando pra conseguirmos fazer um show! é muito bom isso!! hehehe coisa de louco mesmo.
Vocês voltaram recentemente de uma turnê pelo estado de São Paulo (me corrija se eu estiver errado), o que você sentiu de diferente em relação à Brasília?
Definitivamente a estrutura!!! lugar pra show!! Equipamento de som... o Hangar 110 é um lugar incrível, o som em cima do palco e pro publico é perfeito, a equipe, roadies, o lugar lotado, e os shows nos outros lugares também foram impressionantes, por ver que em lugares muito pequenos lá é possivel fazer shows, enquanto aqui em nenhum lugar é facil.
E o pessoal respondeu bem ao som da banda?
Sim sim!!! Fomos pra São Paulo na loucura, até o cara que nos chamou e organizou tudo (shamil da banda inkognita) só tinha escutados 2 mp3s da gente, ele não tinha nem CD!! eheheheh e os shows foram a cada dia ficando mais cheios, tocamos com bandas muito fodas... conhecemos um pessoal muito legal, e no show que menos esperávmos uma resposta legal, porque todas as outras bandas tinham um som muito diferente do nosso, o nosso foi o que mais agitou, foi bom demais.
Com direito a Moshpit?
Com direito a muita gente assustada, gente sangrando, gente desmaiada e a gente rebolando no palco sem parar.
Deixe uma mensagem pro pessoal:
Obrigado pela entrevista, obrigado por tudo que as pessoas andam fazendo para nos ajudar, a gente vai aprendendo que tudo está sendo possível porque a amizade está acima de tudo no hardcore!! entrem em contato com a banda, chame a gente pra tocar, escute nossas músicas, mostre pros seus amig@s e muito obrigado mesmo pelo espaço!

Contatos:
Tel: Bruno (0xx61)3476888 ou (0xx61)81330228
e-mail: contato@lestorock.com
site: www.lestorock.com


Voltar