Entrevistas: Paura
Por Bruno Feijão Genaro

Tradicional pergunta de ínicio de entrevista. Fale como e quando surgiu o Paura, de quem foi a idéia e se já houve mudanças na formação.
O Paura foi formado em 95 por pessoas que tocavam em bandas que já tinham reconhecimento no circuito (No-Violence, Garage Fuzz e Kangaroos In Tilt). A idéia era montar uma banda que fizesse um som diferente das bandas de que faziam parte na época. De lá pra cá, a banda passou por inumeras formações. Só pra se ter uma noção, o Paura já trocou de vocalista e de baixista 4 vezes.
Quais as principais influências do Paura?.
Mano, influência forte mesmo é a velha escola do hardcore e o thrash metal Bay Area circa 80´s, mas sofremos influência do grindcore, do death metal e da nova escola do hardcore também.
Paura, em suas últimas músicas, tem uma grande diversificação de som, como hardcore, um pouco de grindcore e hardcore ny. Como vocês define o som da banda?
Musica agressiva feita com o coração. Sem rótulos.
A banda completa este ano 10 anos de estrada, certo? Como é ter uma banda independente no Brasil há 10 anos atráz e como e ter uma banda independente hoje no Brasil?
Sim, 10 anos de (r)esistência. E não acho que haja uma grande diferença em tocar numa banda independente hoje ou naquela época. Vivemos em um país onde o que prevalece na música é samba, pagode, axé, forró controlados pelas grandes gravadoras e pelos grandes meios de comunicação. Pra nós, que fazemos música fora do padrão, divulgamos através de meios alternativos e lançamos discos por gravadoras igualmente independentes, as dificuldades ainda são grandes, até opressivas. Mas a perspectiva é boa, no meu ponto de vista. E vai ficar melhor conforme as pessoas envolvidas no circuito se aproximarem mais e passarem a trabalhar juntas por algo maior. E não pelo próprio benefício
Neste tempo todo, quantos trabalhos foram lançados?
Lançamos 3 discos e um EP. Como não temos mais os 3 primeiros trabalhos disponíveis, estamos juntando-os em um cd só, que deve sair até o fim do mês que vem pela One Voice.
Já foram para fora do Brasil?
Ainda não.
Está marcado para o final de Setembro e início de Outubro uma tour pela Argentina e Chile. Quais as expectativas?
Justamente por nunca termos saído do país, a expectativa é monstruosa. O fato de podermos apresentar nosso trampo pra um público completamente diferente do que estamos acostumados, deixa de ser um desafio e passa até a ser sonho se tornando real.
"youkillusweovercome" é atualmente um dos trabalhos mais elogiados na cena brasileira. Fale um pouco de como foi a produção e a satisfação após o CD ser lançado.
Mano, fazer esse disco foi um processo esquisito. Algumas músicas foram feitas na época do "The Myth is Dead", algumas foram feitas durante turnês e a maioria foi feita quando decidimos que tinhámos que lançar um full lengh (2 meses antes de nos internarmos no estúdio do Henrique). Isso aconteceu com a composição das músicas e das letras também. Por exemplo, a letra de Soultrap foi escrita logo depois do assassinato do Carlo Giuliani, no meio de 2001 e a de Favorites of Some God foi escrita enquanto eu gravava os vocais. Coisas que só quem toca em banda independente no Brasil sabe que são normais.
Quanto as letras do Paura. Quais eram os temas abordados a 10 anos atráz e quais são os temas atuais? Quem escreve as letras?
Creio que o inconformismo com a situação sem cair no lugar comum sempre foi uma característica presente nas letras da banda, apesar de ter tido 3 vocalistas diferentes, que escreveram de maneiras diferentes em épocas diferentes. Hoje temos letras menos pessoais e mais explicitas do que antigamente até porque a situação do mundo atual também é diferente do que era há 10 anos atrás. Isso trouxe mais urgência aos temas. Geralmente, quem escreve as letras sou eu mas , no "youkillusweovercome", o Pablo (ex-guitarrista do Paura) escreveu "30" e "Her Lips" e o Paulão (irmão do Rafa-baixista) escreveu "In The Desert Of Ignorance".
Quais as previsões para o Paura em um futuro próximo?
Estamos começando a compor material novo e trabalhamos com a intenção de lançarmos um disco novo no começo de 2006.
Temos também muita vontade de lançarmos um dvd contando a história da banda através de imagens de shows e entrevistas.Mas isso é algo um pouco mais complicado de fazer e demanda um prazo maior,assim como um custo maior.

Qual o significado do nome Paura?
Paura é uma palavra italiana (que, se não me engano, foi incorporada a língua portuguesa) que significa medo, terror.
Quais são os CDs que você mais tem ouvido ultimamente?
"The Code is Red... Long Live The Code" do Napalm Death, "Wake The Dead" do Comeback Kid, "Antigamente Quilombos, Hoje Periferia" do Z´África Brasil, "Clients" do Red Chord", "The Threath That Comes From Within" do Deeper Than That, "Cor à Palidez" do Fim do Silêncio e "Vendetta" do Throwdown estão com dificuldade de sair do meu aparelho de som. (risos)
Em sua opinião, quais são as 5 bandas que merecem destaque na cena brasileira?
Olha,mano......essa é uma pergunta muito difícil de responder.Ainda bem.....isso significa que temos muitas bandas boas por aqui.
Não quero cometer injustiças com outras bandas mas,do que eu conheço e já vi shows,acho que o Fim do Silêncio,o Deeper Than That,o Are You God?,o Discarga e o Garage Fuzz representam em grande nível nossa cena musical independente.
Mas isso é algo muito pessoal e você me fazer escolher só 5 bandas é muita sacanegam comigo, Feijão. (risos)

O que você acha de cena hardcore (nacional) nos dias atuais?
Vou completar a pergunta anterior nessa: O cenário está ficando cada dia mais forte e estruturado. Graças à enorme quantidade e qualidade de bandas, selos, zines, promotores de shows e pessoas envolvidas com essa filosofia de vida hardcore. Mas ainda assim acho que nossa cena é pequena em relação à outros países. Acho que o mais importante hoje é unir as pessoas que batalham por algo melhor pra todos e excluir os oportunistas, aproveitadores e mercadores que infestam nosso circuito hardcore. É um tipo de pessoa que tira vantagens para proveito próprio e não contribue em nada com o coletivo, pelo contrário, podem por a perder muita coisa que foi conquistada com suor e honestidade.
Deixe uma mensagem pra finalizar:
Parabéns pelo trampo que vocês fazem que é uma contribuição ao circuito e obrigado pelo espaço. Podem contar com o Paura pro que for preciso pois sei que a índole de vocês é a mesma que a nossa. Mantenham o espírito forte. Quem quiser acompanhar e saber mais sobre a banda pode acessar www.paura.com.br e www.fotolog.net/paura3rdworld. É isso ai... amor pra quem merece e ódio pra quem pede


Contatos:

Site: www.paura.com.br
fotolog: www.fotolog.net/paura3rdworld

Voltar