Entrevistas: Rebitantes
Por Bruno Feijão Genaro - Revisão: André Demente

Pra começar fala como e quando surgiu o Rebitantes.
Primeiramente, nós gostariámos de  agradecer o espaço que nos foi cedido. A banda surgiu em Março de 2004, no subúrbio de Campinas/SP. Estávamos cansados de ficar acomodados vendo toda corrupção, miséria, fome, exploração, alienação que acontecia no mundo, então nós decidimos montar uma banda como forma de protesto, mostrando a podridão que a sociedade esconde.
A nossa primeira e única formação foi essa: Thiago (bateria), Bruno (vocal), Diego (guitarra), Eder (baixo). E até hoje a banda continua ativa na cena, mostrando toda sua revolta e indignação.

Qual a proposta da banda?
A proposta da banda é passar as idéias libertarias através do Punk Rock / HC. Sem fins lucrativos, quebrando os padrões da sociedade, fazendo a difusão da contra-cultura, protestando com as letras de revolta e indignação, não se acomodando com a situação em que o mundo está. Mostrando que o capitalismo só trará a destruição humana.
Quais as principais influências da banda?
A nossa influencia ideológica, veio através de zines, textos, livros, e um ideal próprio individual, adquirido através de nossas vivencias. E a nossa influência musical, veio de algumas bandas independentes, como: Apatia-No, Aus Rotten, Fallas del Sistema, Ácratas, Antítese Social, Sin Dios, Los Crudos, Kome Mierda, Execradores, Mundo Rural.
Fale um pouco sobre o nome da banda.
Tínhamos umas jaquetas, com patchs, e frases, mais não tínhamos arrebites (que chamávamos de “Rebites”), mais como nessa cidade, não se encontrava esses arrebites, próprios para jaquetas, utilizamos um tipo de rebite diferente, usado em confecções de roupas, calças jeans etc., eles eram parecidos com umas bolinhas de ferro, e dava muito trabalho para fixá-los, era necessário fazer uma gambiarra, com chave de fenda, martelo, etc. Demorava quase 1 hora para se colocar uns 20, Analisando a situação o Éder (baixista), teve a idéia de colocar o nome da banda Rebitantes. Para nos, os “Rebites” tem o objetivo de quebrar os padrões da sociedade. Não só os “Rebites”, mais também, os patchs, frases, bottons, moicano, também os pensamentos subversivos e os pensamentos libertários.
Vocês já produziram alguma demo?
Sim, já produzimos uma demo independente, em junho de 2005. Decidimos gravar um ensaio no fundo de casa, para ouvir e ver como ficou. Ficou melhor do que a gente esperava, então decidimos fazer a demo que ficou com 6 sons no total.
Quais as próximas novidades do Rebitantes?
As próximas novidades do Rebitantes são algumas músicas novas, a camiseta da banda, o site, e futuramente um CD, gravado em estúdio, com qualidade melhor do que a demo.
Em meio a tanto caos, o que é mais revoltante no sistema atual?
Uma coisa que nos revolta muito, é a desigualdade social, não só no Brasil, mais também em muitos países do mundo, muita gente passando fome, vivendo abaixo da linha da pobreza, enquanto burgueses tem vários carros caros, várias propriedades, enfim, dinheiro de sobra, entende, pouca gente com tudo, e muitos sem nada. Mas além disso tem vários assuntos que traz uma revolta, como, a guerra causada por religiões, pelo capital, patriotismo, e outros motivos que poderiam ser evitados. A alienação que a sociedade sofre pela mídia e pela igreja, a corrupção, e muitos outros motivos causam a nossa revolta.
Vocês apóiam a Anarquia?
Sim, fazemos bem mais do que apoiar, colocamos em pratica, alguns de seus princípios, em nosso dia-a-dia. No nosso ponto de vista, qualquer ideologia, ou modo de vida, que visa à liberdade das pessoas, sem prejudicarem a liberdade das outras, é visto por nos como um bem.
Qual foi o melhor e o pior show do Rebitantes?
O melhor foi no 1° de maio de 2005, nesse dia, vieram muitas pessoas de outras cidades e daqui também, foi tudo como o planejado, todas as bandas compareceram, o publico agitou bastante, e conseguimos passar nossos ideais com clareza. O pior foi no dia 15 de Novembro de 2004, esse dia choveu e muitas bandas não compareceram, os equipamentos estavam “falhando” (mau contato etc.), estava vazio quando agente tocou, tinha no máximo, umas 10 pessoas olhando, mas mesmo assim passamos nossas idéias, sem se importar com a quantidade do público.
Deixe uma mensagem pra finalizar:
Mais uma vez agradecemos pelo espaço. Nossa mensagem é esta: No mundo, nunca haverá a paz total, porque o instinto do ser humano, sempre foi e sempre será a autodestruição, mas existem as pessoas que conseguem fugir ou mudar seus instintos, buscando a melhor vivencia possível sem prejudicar ao seu próximo. Não adianta pregar a paz, tendo o patriotismo no coração. Não adianta buscar a paz, impondo seus ideais autoritariamente a quem quer que seja. Não tente fazer a paz, com conflitos religiosos, seguindo um deus que não existe. Lute por sua Liberdade, Lute por sua independência, E não por um país, ou uma nação, uma pátria, uma religião, um partido político, ou qualquer coisa que tire a liberdade de uma pessoa.

“Nunca haverá paz...

...Sem antes ter a Luta, O Kaos, e a Liberdade.




Contatos:
site: www.rebitantes.cjb.net
e-mail: rebitantes@yahoo.com.br

Voltar