Entrevistas: Plague Rages

Por Bruno Feijão Genaro

Como e quando surgiu o Plague Rages?
O Plague Rages surgiu em 1996 com o intuito de expressarmos nossos sentimentos de revolta através de um som extremo, que na época, era mais calcado no deathcore/grindcore, com o passar do tempo o som virou um violento grindcore. Desde então estamos lançando nosso material através de selos independentes e verdadeiramente undergrounds. Da formação inicial, restam apenas eu (Mané - g/v) e o Bola (b/v). Atualmente estamos com o Xopô na bateria e posso garantir que nossos sons estão mais brutais do que nunca.
Quais as principais influências da banda?
Temos muitas influências dos mais variados gêneros, claro que o grindcore é nossa maior influência, mas gostamos muito de hardcore, crust, noise, death metal, thrash, industrial, etc. Acho que nosso som tem muita influência de bandas como: Napalm Death, Repulsion, Carcass, Unholy Grave, Extreme Noise Terror, Agathocles, Nasum, Assück, Slayer, Death, Morbid Angel, Damaged, etc.
Qual a proposta da banda?
Nossa proposta é nos expressarmos através do grindcore, tocarmos, lançarmos nosso material e fazer amigos, essas são as coisas mais importantes para nós. Sempre dentro da proposta DIY (Do It Yourselve - Faça Você Mesmo), claro.
Quem colocou e qual o significado do nome Plague Rages?
Na verdade esse nome é o mesmo de uma música do Napalm Death, banda que gostamos muito, na época que começamos, como todas as bandas, sempre rola aquele debate de que nome a banda vai ter, etc. Ficamos cerca de um mês sem nome nenhum, acabamos por escolher esse nome pois tocávamos essa música como cover, achamos que é um nome forte e com um significado legal, ele quer dizer algo como "epidemia de raiva", como temos letras fortes achamos que esse nome tinha tudo a ver com a proposta da banda.
Quem escreve e quais são os temas abordados nas letras do Plague Rages?
As letras, na maioria das vezes, são escritas pelo Bola e por mim, o Xopô escreveu algumas também. Os temas abordados são: miséria, religião, ganância, corrupção, alienação, racismo, e todas essas porcarias que infelizmente existem e assolam a maioria da população, sempre com uma temática pessimista e carregadas de ódio, as letras são escritas de uma forma bem direta.
Como é ser uma banda de grindcore hoje no Brasil?
Acho que hoje as coisas estão um pouco mais fáceis de acontecer, tem mais estúdios para ensaiar, mas bandas, mais selos e mais público, creio que a cena hoje esta muito melhor do que quando a banda começou, a 9 anos atrás, porém, infelizmente, como tudo o mais que cresceu, o número de panelas dentro da cena cresceu também, infelizmente, isso as vezes prejudica um pouco bandas que estão começando e que querem divulgar seu som, antigamente, como shows eram mais difíceis de acontecer, a galera comparecia mais e quem organizava shows chamava bandas legais para tocar, hoje em dia a galera chama mais as bandas que irão dar maior público, mesmo que o som delas seja uma bosta, o mesmo quanto a lançar material, parece que acabou aquela vontade da galera em conhecer bandas novas e que tem muito a oferecer, isso faz com que as bandas tenham que percorrer um caminho maior para lançar seu material, creio que esse seja um motivo para que muitas bandas boas acabassem, infelizmente.
O que estão achando da confirmada vinda dos reis do grindcore, Napalm Death, ao Brasil?
Eu estou achando o máximo cara, muito legal pois eles sempre vinham a cada 7 anos e o fato deles virem dois anos seguidos é ótimo pois os caras vêem que aqui tem um público que quer vê-los, espero que outras bandas sigam o exemplo.
A banda já tem algum registro?
Felizmente temos vários materiais lançados nesses 9 anos que estamos com a banda, espero que muitos mais lançamentos venham por aí. Até agora, o que lançamos, desde 97 (nosso primeiro registro) foi:
Endocanibalismo, demo tape – 97
Tecnologia (a serviço do caos), demo tape – 98
Split Tape com Cruel Face – 98 (Chaos Tapes – Holanda)
Split Tape com Desecration – 98 (N.N.P.P. Records)
Split live Tape com Syndrome of Terror – 99 (Days of noise recs.)
100% União – (cd coletânea – 02 músicas) – 99 (Rotheness records)
4 Way Tape com Hatebox, Twisted Truth e Hypo-Christians – (ZaZ! – Itália) – 00
Split 7”EP com Syndrome of Terror – 00 (cooperativa com 7 selos)
O Progresso da regressão – (cd coletânea - 01 música – No Fashion recs.) - 00
4 Way Tape com Crushing Heads, Mahogany e Syndrome of Terror – 00 (N.N.P.P. recs)
4 Way Tape com Agathocles, Hate Corrosion e Entrails Massacre – 00 (Hatred recs.)
Split 7”EP com LD´50 (Absurd records - Brasil) – 01
Split Tape com Agathocles (Impregnate recs. – Rep. Theca) – 01
War = Pain, 4 way tape com NY X Belzebu, Hate Corrosion e Noise Symphony – (Fat grinder distro) - 02
Aversão – CD-R – 2002 – Auto produzido
Aversão – Tape – (Impregnate Recs – Rep. Theca –03)
Follow your leader – (cd coletênea duplo – 1 música – FCR records – Inglaterra) – 03
All a filth of...part 4 – (cd coletânea – Impregnate Recs – Rep. Theca) – 03
Psychosis Death comp. – (cd-r – 1 música – Col. do zine Psychosis death) – 03
Triturando a Morte – CD-R Discografia – (Mulesta Punx e Bandana Records) - 04.
Qual foi o melhor e o pior show do Plague Rages?
Cara, foram tantos shows nesses anos... Poderia ficar destacando shows aqui uns dois dias, mas vamos lá, acho que posso destacar as duas vezes que tocamos em Pres. Prudente, em 1988 e 2001, o show que fizemos em Piracicaba em 2002, nossos shows do Caffeine e do Black Jack esse ano foram muito bons. Quanto aos piores, estivemos em umas roubadas, isso deve ter acontecido com todo mundo já, em que não tinha amplificador, microfone, etc, acho que nem vale a pena ficar lembrando isso, deixa para lá.
Qual seria a banda dos sonhos que vocês gostariam de abrir em um show?
Com certeza o Napalm death seria uma banda, outras seriam Extreme noise terror, Agathocles, Assück (essa banda acabou), Asesino, Brujeria, Cripple Bastards, Brutal Truth, Nasum (também acabou), Cannibal Corpse, Morbid Angel, Violent Headeach, Groinchurn (acabou também), devem haver mais uma centena também cara.
Quais os projetos para 2006?

Continuar tocando ao vivo e compondo, também devemos lançar no split com o Dysmorfic, até lá nossos splits com o Bestial Vomit, War head, Vulgar Nausea e Warnoise já devem ter sido lançados, bem como o tributo ao Nasum que iremos participar.
Qual foi a maior conquista do Plague Rages?
Com certeza estarmos na ativa a 9 anos foi nossa maior conquista, nesse tempo todo aprendemos muita coisa, fizemos muitas e valiosas amizades, quem vem mais 9, 10, 11 anos.
Qual o principal objetivo da banda?
Continuar na atividade e tocando grindcore, que é o que amamos fazer, e claro protestando contra todas essas merdas que ocorrem no mundo, lançando nosso material de forma honesta e fazend amigos.
Deixe uma mensagem pra finalizar:

Bruno, muito obrigado pela oportunidade cara, valeu mesmo, tudo de bom para você e para o zine kaos. Agradeço a todos que leram essa entrevista, apreciamos muito sua atenção. Combatam o nazismo e fascismo. Quem quiser entrar em contato, fique a vontade.



Contatos:
site: www.plaguerages.rg3.net
e-mail: mane.hatred@bol.com.br
myspace: www.myspace.com/plague_rages
purevolume: www.purevolume.com/plague_rages

Voltar