Entrevistas:  Marcio Baraldi (cartunista)

Por Bruno Feijão Genaro

Pra começar, fale um pouco de quem é você (nome, onde nasceu, trabalho)?

Eu sou o Super Baraldão, um cartunista moreno, alto, bonito e sensual (gargalhadas)! Nasci no território selvagem do ABC paulista em plena ditadura militar, cresci no meio do movimento sindical, da CUT, do PT, do movimento Punk, enfim, só gente revoltada com o sistema e doida pra mudar o mundo(risos)! Sou desde os 16 anos, chargista político nos Sindicatos dos Bancários, nos Químicos do ABC, Metroviários, Médicos, Psicólogas, e muitos outros! Além disso desenho pra trocentas revistas, inclusive a maioria das de rock do Brasil.
Como e quando você se envolveu com o desenho?
Já nasci com vocação pra coisa e desenho desde que aprendi a segurar um lápis. Com cinco anos eu já lotava cadernos e mais cadernos com desenhos de quadrinhos e personagens que eu criava. Com seis anos já lia e escrevia muito bem graças aos gibis da Mônica e Pererê, adorava tanto os gibis que queria aprender a ler rápido só pra poder lê-los!
Desde quando você ouve rock?
Descobri esse tal de Roque Enrow aos 11 anos ao ouvir a música "We will Rock You ", do Queen, no rádio. Fiquei hipnotizado por aquela batida espetacular, esperei o locutor falar o nome da musica e da banda e sai correndo comprar o compacto de vinil. Foi meu primeiro disco de rock.
Quando você uniu estes dois fatores, rock e desenho?
Com essa idade mesmo. Quando descobri o Queen, passei a fazer zilhões de desenhos da banda, estava enfeitiçado por Sua Majestade do Rock! Aí, logo depois, descobri o Kiss, aí pirei de vez!!! Era a banda perfeita pra um moleque que amava rock e quadrinhos! Não deu outra, passei a desenhar o Kiss compulsivamente, fiz zilhões de desenhos dos caras (risos). Quando cresci e virei cartunista passei a fazer essa mistura de forma profissional!
Quando você começou já tinha em mente o desenho como profissão?
Sim, era o meu sonho desde criança. Eu queria viver de quadrinhos e ser um profissional bem sucedido, porque eu era muito pobre e queria, mais que tudo, sair daquela situação.
Dá pra viver bem do desenho?
Eu vivo exclusivamente da profissão de cartunista há 23 anos e irei exercê-la até meu ultimo dia de vida, aos 135 anos de idade (risos)! Trabalho que nem um doido, mas não posso reclamar, é a profissão que pedi a Deus!
Se você não fosse cartunista, gostaria de ser o que?
Eu, provavelmente, seria um bom profissional em qualquer outra profissão, pois sempre fui extremamente responsável, disciplinado e dedicado ao trabalho. Com certeza seria um bom médico, advogado, engenheiro, músico, radialista, jornalista. Mas o Cartum é a profissão perfeita pra mim, porque através dele posso expressar minha ideologia e me aproximar das pessoas e até de Deus. É uma profissão muito humanista!
Quem te influenciou artisticamente?
Eu gosto até hoje dos primeiros autores que li: Mauricio de Souza, Ziraldo e Monteiro Lobato! E, logo depois, Jack Kirby, Stan Lee e a velha guarda da Marvel Comics! Esses são meus eternos mestres e heróis reais! Quem sabe, um dia, eu não tenha também um pouco do valor artístico e cultural desses gênios.
Sua família o apoiou quando você entrou para este caminho?
Posso não ter tido grandes apoios mas também não tentaram me impedir. Basicamente tudo ficou por minha conta, entrei na profissão cedo e me esforcei muito pra crescer dentro dela! Pra mim foi bom assim pois aprendi a ser independente e lutar pelo meu próprio caminho desde cedo. Isso é bom, te torna um sujeito responsável e "pé-no-chão".
Você já teve banda?
Nos anos 80 toquei em três bandas: "Ecos urbanos" (pós -punk), "Libertação Radical" (punk) e "Cachorro Magro" (blues), junto com o quadrinhista Marcatti, que é um ótimo guitarrista. Depois na faculdade, inventamos uma banda chamada "Os descamisados" (risos), só de zoeira, pra tirar um sarro do governo Collor (risos)! Agora tô momentaneamente aposentado (gargalhadas)!
Já trabalhou em artes de CD?
Já fiz vários Cds de tudo, do trombonista "Bocato", "DZK" (punk), "Máxima Culpa" (hard-rock),"Be e Thoven" (humor), "Arquivo do Rock"(radio 89 FM), e muito mais. Fiz também um gibi inteiro com a banda "Exxótica", de hard-rock.O gibi virou encarte do disco "Capitulo II" , deles.
O que você acha do rock hoje no Brasil?
Tem muuuuuita banda boa ai pelo underground. Eu participo de muitos festivais e eventos cheios de bandas e vejo bandas novas, ou antigas, de alta qualidade e super criativas. Essas bandas não aparecem na grande mídia porque o "Império do Jabá" não deixa! O que você vê ai na grande mídia são meia dúzia de bandas bem comportadas e domesticadas que praticamente não acrescentam nada à cultura brasileira.
Você utiliza o computador para editar imagens?
Sim, uso pra colorir os desenhos, retocá-los e editá-los. O computador é uma ferramenta valiosíssima e não dá mais pra viver sem ele hoje! Nada como a tecnologia a serviço do Homem e da Qualidade!
O que espera do rock e de você para 2006?
Espero que as bandas e amantes do Rock e da Cultura Brasileira criem, cada vez mais, uma mídia alternativa para fazer oposição à mediocridade e marasmo da Grande mídia brasileira! Sites , zines, revistas, TVs , rádios, enfim, todos os veículos possíveis, para dar voz e visibilidade à imensa e riquíssima produção cultural alternativa e independente deste país! Quanto a mim, eu espero fazer parte de tudo isso e do processo de construção de uma nova mídia, mais honesta , inteligente e cultural, do que a que está aí hoje.
Deixe uma mensagem pra finalizar:
Você aí que está lendo  e tem vontade de mudar o mundo, quer fazer algo, faça seu zine, seu site, sua revista, estude, trabalhe, monte sua banda, enfim acredite em você e no seu trabalho! Ajude a transformar o mundo começando pela sua cabeça! Um dia, há 50 anos atrás, uma rapaziada inventou o Rock'n'Roll e conseguiu mudar o mundo com ele. Depois do Rock, o comportamento da sociedade nunca mais foi o mesmo! Ajude você também a criar obras e mecanismos que possam transformar esse mundo num lugar melhor e mais humano. Produza cultura ao invés de alienação, produza paz ao invés de violência! É nisso que eu acredito, é isso que eu faço!
Sucesso e saúde a todos!
Grande abraço!
E visitem meu site: www.marciobaraldi.com.br



Contatos:
e-mail: mbaraldi@spbancarios.com.br 
site: www.marciobaraldi.com.br
Tel: (11)3188-5282
Orkut: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=890713

 
Voltar