Movimentos: Anarco-punk

Os responsáveis por tal terminologia não eram garotões que cheiravam cola e curtiam uma algazarra, mas pelo contrário militantes políticos da esquerda e de pequenos partidos de cunho anarquista que estava em voga. Eram ligados ao Greenpeace, a Sociedade Protetora dos Animais e alguns ao Rock Contra O Racismo. As principais bandas eram Crass, Fatal Microbes, Omega Tribe e-a melhor de todas- Poison Girls. A retrospectiva de quatro CDs demonstra o quão interessante, inteligente e audaciosa foi a banda montada por Vi Subversa. Anarquista de primeira linha, aos 42 anos, chocou todas as alas conservadoras com letras berrando liberdade e exaltando questões sociais sem tons populistas. O som era um abrasivo e multifacetado punk experimentalista.


Voltar